Sergipe com sabor de quero mais: gastronomia na terrinha

Sergipe com sabor de quero mais: gastronomia na terrinha

A culinária sergipana é um festival de gostos, aromas e cores. Nesse texto, vamos conhecer alguns dos principais pratos pra você ficar de olho e ter na sua listinha do que precisa experimentar quando chegar aqui!

O sergipano cultiva o hábito de “quebrar” caranguejo regado ao vinagrete, como complemento de uma boa prosa na mesa de bar. O guaiamum, outra espécie também extraída dos mangues, pode ser servido com um delicioso pirão.

Na Passarela do Caranguejo, além do petisco mais famoso de Aracaju, é possível degustar casquinhas de siri, aratu, a caldinhos de sururu, ostra e camarão. Nas praias do Abaís e do Saco, é possível encontrar a saborosa moqueca de aratu na palha de ouricuri.

Sergipe com sabor de quero mais: gastronomia na terrinha 1

A típica carne de sol recebe um importante parceiro que é o pirão de leite. A água e a carne do coco, fruto característico de regiões costeiras, são bastante apreciados. Assim como os sucos de frutas nativas como mangaba, caju, umbu, cajá e pitanga. Ainda é comum escutar os pregões de ambulantes: “sarôio, beiju molhado, malcasado e pé-de-moleque!”. São comidas gostosas de herança da culinária indígena e africana vendidas nas ruas.

No período junino, a culinária baseada no milho ganha força. Neste período, é possível apreciar receitas como canjica, bolo de milho, mungunzá, entre outros. Tem ainda as tapiocas, queijo assado e licores de jenipapo, pitanga e maracujá, e o amendoim cozido, verdadeira paixão do sergipano.

E durante o ano todo, o cardápio de frutos do mar recebe o reforço dos peixes de água doce, considerando a proximidade do Rio São Francisco, que facilita esta oferta.

Entre a vasta relação de ingredientes que dão sabor à culinária sergipana, o coco é, sem dúvida, utilizado em diversos pratos. Com presença marcante na paisagem litorânea, os coqueirais dão base de sustentação à economia sergipana. Dele nada se perde: desde as raízes, utilizadas como chá para remédios caseiros, à água e a carne do coco, que são bastante apreciados e utilizados em doces exclusivamente sergipanos. Um exemplo é a queijada, que apesar do nome, o seu principal ingrediente é o coco, que lhe concede um sabor inconfundível.

Na região de Nossa Senhora da Glória, encontra-se a maior bacia leiteira do Estado. Lá é possível comprar queijos, requeijão e iogurte. Recentes iniciativas de cooperativas locais estimulam também a produção de derivados do leite cabra. Passando por aquela cidade, você poderá degustar um pedaço de queijo de leite de cabra, assim como iogurtes e doces de leite.

Sergipe com sabor de quero mais: gastronomia na terrinha 2

Deu água na boca, não foi? Então, venha sentir de perto Sergipe e as delícias da nossa cozinha. Combinado?

Até a próxima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *