5 passeios para incluir no seu roteiro cultural em Sergipe

5 passeios para incluir no seu roteiro cultural em Sergipe

A diversidade das manifestações culturais do povo sergipano é, sem dúvida, uma das belas e grandes atrações que o Estado tem a mostrar para seus visitantes. Vamos conhecer um pouco mais desse roteiro?

Nos teatros e casas de shows é possível apreciar as apresentações de dança, música e teatro dos grupos locais. Do erudito ao popular, a boa música tanto instrumental quanto vocal é executada pelas magníficas Orquestra Sinfônica e Orquestra Sanfônica, formada por sanfoneiros.

Seresteiros, bandas e trios de forró animam a vida noturna de Aracaju. E no interior, é possível admirar o improviso de aboiadores e violeiros repentistas, contagiar-se com a alegria das bandas de pífanos, sensibilizar-se com a religiosidade popular das novenas e cantar o refrão no balanço do coco de roda.

As galerias de arte da capital apresentam exposições individuais e coletivas, mostrando o vigor das artes visuais no Estado. Colecionadores e amantes das artes plásticas encontrarão trabalhos de alta qualidade a preços módicos entre pinturas, esculturas, desenhos e xilogravuras.

Museu da Gente Sergipana

Vamos começar a caminhada pelo Centro Histórico? A primeira parada é o Museu da Gente Sergipana, um ícone da diversidade cultural de Sergipe, inaugurado em 26 de novembro de 2011. É o primeiro museu multimídia interativo do Norte e Nordeste. Em um dos espaços, o curador Marcello Dantas, também responsável pelos museus da Língua Portuguesa (São Paulo), das Minas e do Metal (Belo Horizonte), criou uma feira virtual, onde é possível “conversar” com comerciantes sergipanos e perceber seu estilo.

Está instalado no antigo prédio do Colégio Atheneu, conhecido como Atheneuzinho, que foi totalmente restaurado. Em suas instalações, existem mais dois espaços que completam o mergulho na alma do povo sergipano e que através da culinária e do artesanato destacam as riquezas do patrimônio cultural da nossa gente: o Café da Gente e a Loja da Gente.

5 passeios para incluir no seu roteiro cultural em Sergipe 1

Largo da Gente Sergipana

Depois, bem em frente ao museu, faça uma visita para conhecer o Largo da Gente Sergipana, com suas estátuas de 7 metros de altura, em pleno Rio Sergipe, mostrando a riqueza do nosso folclore. Uma visita imperdível, que proporciona belas fotos de lembrança da viagem.

Palácio-Museu Olímpio Campos

Transformado em museu em 2010, o “Palácio-Museu Olímpio Campos”, preserva a originalidade da obra e da memória sergipana. Localizado na Praça Fausto Cardoso, que abriga em seu entorno diversos prédios históricos e de importância cultural e política, como o Palácio da Justiça, o Arquivo Público, a Assembleia Legislativa e o Palácio Fausto Cardoso, uma construção do século XIX tombada pelo Governo do Estado.

Com início de construção em 1856 e inaugurado em 1863, época do Brasil Império, o “Palácio Provincial” foi sede do Governo do Estado e residência do governador na capital sergipana.

O Palácio-Museu possui áreas de acesso público, que contam a história política e cultural do monumento e da República de Sergipe. Além disso, promove eventos abertos ao público, a exemplo de exposições fotográficas, mostras de artistas, lançamentos de livros, entre outros. O novo projeto disponibiliza também serviços de guia para visitação, curadoria, pesquisa, documentação histórica, cafeteria, livraria etc.

Praça Olímpio Campos, Catedral Metropolitana e Parque Teófilo Dantas

Com um rico patrimônio arquitetônico, o Centro Histórico de Aracaju é um dos principais símbolos da cidade – e onde estão o Parque Teófilo Dantas, a Praça Olímpio Campos e a Catedral Metropolitana. No caminho, você poderá ver alguns exemplos de prédios históricos, como a antiga sede da Prefeitura, o Palácio Arquidiocesano e o Espaço Cultural Cacique Chá, cujas paredes são decoradas com painéis do pintor sergipano Jenner Augusto.

A Catedral Metropolitana, um dos mais significativos monumentos da arquitetura religiosa da capital sergipana, foi fundada em 1862. O interior da igreja é ornamentado com belíssimas pinturas do século XIX, que, com o uso de uma técnica artística e truques de perspectiva, cria uma ilusão de ótica e faz com que formas de duas dimensões aparentem ter três. Tombada pelo Governo do Estado, passa por amplo processo de restauração.

Depois, siga a caminhada pelo Centro Histórico de Aracaju, vislumbrando no caminho os bairros Coroa do Meio e 13 de Julho, com as belezas dos seus manguezais, os rios Sergipe e Poxim, o Calçadão da Praia Formosa, a Ponte do Imperador e, de outro ângulo, a Ponte João Alves, que liga Aracaju à Barra dos Coqueiros, e o Largo da Gente Sergipana.

 

Mercados Municipais de Aracaju

Se há um lugar onde toda cidade, ou melhor, todo o Estado se encontra é nos mercados centrais de Aracaju. Mercados centrais, sim, porque são três: o Antônio Franco, inaugurado em 1926 e com estilo arquitetônico eclético, o Thales Ferraz, construído em 1948, e o Albano Franco, aberto em 1998.

Cada um dos mercados é dedicado a distintos comércios. No Antônio Franco, cuja principal característica é a torre do relógio, podem ser encontrados artesanatos dos mais diversos materiais e vindos dos mais diferentes recantos de Sergipe. Nele também estão restaurantes dedicados a mais autêntica culinária sergipana.

Já no Thales Ferraz, as gomas, tapiocas, beijus, pés-de-moleque, castanhas, doces e licores são um convite à gula. Mas se tiver algum problema, não se preocupe! Nele também estão as ervateiras, com suas raízes, folhas e frutos, que fazem os chás e banhos mais diversos para os males do corpo e da alma.

O Albano Franco é o mercado do dia a dia do Sergipano, uma profusão de cheiros e cores, frutas, verduras, carnes, pimentas, farinhas. “De um tudo” se encontra lá.

Depois desse texto, a gente ficou foi animado pra reviver de perto tudo isso. Esperamos você pra nos fazer companhia!

Até logo!

Uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *